Graças a um pedaço de lixo, homem sobrevive 14 horas no Oceano Pacífico

O ENGENHEIRO-CHEFE DE UM NAVIO SENTIU-SE MAL, DESMAIOU E CAIU AO MAR, ONDE FICOU À DERIVA DURANTE 14 HORAS

Madalena Costa


Este poderia ser o argumento de um novo filme, mas, a verdade é que aquilo que aconteceu foi bem real.


Um engenheiro-chefe do navio Silver Supporter estava a fazer uma viagem de abastecimento entre o porto de Tauranga, na Nova Zelândia, e a ilha isolada de Pitcairn. No entanto, Vidam Perevertilov, que estava dentro do navio, sentiu-se mal e deslocou-se para o exterior para apanhar algum ar.


Só que, sem ninguém se aperceber, o engenheiro-chefe, de 52 anos, terá desmaiado, visto que não se lembra, e caiu ao mar.



A partir desse momento, esteve 14 horas à deriva no Oceano Pacífico e acredita que aquilo que o salvou foi um pedaço de lixo.


Ao aperceber-se de que estava à deriva, Vidam Perevertilov nadou até encontrar um “ponto negro”, que era uma bóia de pesca não ancorada, que, nas suas palavras, era “apenas um pedaço de lixo marinho”. Manteve-se, então, agarrado a essa bóia de pesca até ser salvo.


Isso aconteceu quando a restante tripulação do navio se apercebeu de que o engenheiro-chefe tinha desaparecido. Conseguiram localizá-lo e, horas mais tarde, com a ajuda de um avião da marinha francesa, encontraram-no.


A força e a vontade de sobreviver foi forte o suficiente para que Vidam Perevertilov conseguisse manter-se à tona.

E, na realidade, o lixo que caracteriza os oceanos acabou por lhe salvar a vida.


  • Partilha:

Top